domingo, 15 de fevereiro de 2015

Planeta Terra

Fotos: Reprodução





















Surreal. Emocionante.

Série que, em uma única temporada, com 11 episódios, de 44 minutos cada, é o apanhado geral de uma viagem incrível por cada canto do Planeta Terra. Mais completa e compacta, impossível. E deveria ser obrigatoriamente assistida por todo e qualquer terráqueo que se preze.

Como diz a sinopse do Netflix, "leva amantes da natureza da Cordilheira do Himalaia às profundezas do oceano, passando por todos os lugares pelo caminho". É aquele tipo de documentário que informa e entretêm ao mesmo tempo, unindo imagens belíssimas com uma dose cavalar de conhecimento, e eu sinceramente poderia passar a vida olhando para algumas cenas de tão encantadoras. (Me rendi ao Netflix, sim, fui a última pessoa do planeta a fazer isso e não, não vou ter vida a partir de agora de tanta coisa boa que tem pra ver).

Acho que a natureza nunca vai deixar de me impressionar, e eu adoraria conhecer cada lugarzinho do mundo. Mas, como nem todos os lugares são acessíveis, que bom que existem pessoas corajosas o suficiente para desbravar o nosso grandioso planeta, às vezes arriscando suas vidas, para nos dar um presente como esse.

Fiquei de boca aberta com a qualidade das filmagens, todos os detalhes, as cores, tudo é de uma riqueza excepcional. Adoro os trechos em câmera acelerada, que mostram todo o desenvolvimento de um fungo, por exemplo. Teve momentos em que fiquei pensando, mas na verdade mal posso imaginar, além de todo o dinheiro gasto, o trabalho que deu para fazer tudo isso. A trilha sonora é maravilhosa, composta por música clássica, sincronizada com cada cena, fazendo realmente parecer que tudo é orquestrado por uma força maior. Não posso deixar de citar o narrador, que também é ótimo, parece um vovozinho contando histórias (o que pode se tornar um verdadeiro sonífero às vezes, mas de qualquer forma é ótimo). 

Sempre gostei desses programas de TV sobre natureza, plantas, animaizinhos fofos e essas coisas, porque sinto que me transporta para universos paralelos que nós, na maior parte do tempo, não temos a consciência de que coexistem conosco, e esse é um documentário especial que merece destaque. É tão mágico ver como os demais seres vivem, as paisagens deslumbrantes, coisas como o cavalo marinho pigmeu que eu nunca ia saber que existia se não fosse por esse documentário, tanta vida com todas as suas curiosidades e tanta coisa a ser desvendada ainda... E como a natureza é harmoniosa, perfeita e, especialmente, muito louca!

"Nosso planeta ainda está cheio de maravilhas. Assim como exploramos ele, não ganhamos apenas compreensão, mas poder. Não é somente o futuro das baleias que hoje está em nossas mãos, é a sobrevivência do mundo natural em todas as partes onde há vida. Nós podemos destruir agora, ou podemos apreciar. A escolha é nossa."

Danças do acasalamento podem ser tão bizarras quanto engraçadas


















Me despeço com um pouquinho do urso polar que me fez morrer de amores de tão fofo que ele é, e ao mesmo tempo despedaçou meu coração porque corre o risco de entrar em extinção por causa do aquecimento global: https://www.youtube.com/watch?v=BSWa8DZEy84

Os papais pinguins chocando seus ovinhos foi outra das cenas que me matou de fofura. Obrigada, equipe de filmagem que quase morreu congelada para isso.

Ah, agora vou começar a avaliar as séries, ou o que for, entre 1 e 5 estrelas, porque eu acho que assim as resenhas vão ficar mais completas. No caso dessa não tem como ser menos de 5 estrelas, eles fizeram um trabalho simplesmente impecável. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário